Skip to main content

O Casamento do Príncipe Harry com Meghan Markle e a Bancada da Bíblia

O Bispo Michael Bruce Cury, roubou a cena durante o casamento real, entre o Principe Harry e a atriz, afrodescendente, Meghan Markle, com a pregação que repete Martin Luther King, sobre o poder redentor do amor: “o amor pode ajudar a curar quando nada mais pode”.

A cerimônia, presidida pelo Justin Welby, arcebispo de Cantuária, líder da comunhão Anglicana mundial, foi realizada no templo do protestantismo, oriundo do cisma que gerou muitas denominações cristãs pelo mundo afora.

Ver a cerimônia e ouvir o pregador americano e negro, falando na Inglaterra, aos nobres, nos remete a pensar sobre o baixo nível das pregações de políticos, disfarçados de pastores, que usam os púlpitos das casas, através de meios de comunicação e de construções transmudadas em templo, para pregar o ódio, a divisão, arrecadar dinheiro e apoiadores para seus projetos de poder terreno, onde tudo existe, menos o amor.

O bispo Michael, ligou o seu tablet, assomou o púlpito da capela de São Jorge, no Castelo de Windsor, para falar de amor e do fogo controlado. Citou Luther King, os mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, e no mundo, com uma campanha de não violência e de amor ao próximo. Mas também citou o padre católico Pierre Teilhard de Chardin, que foi um padrejesuíta, teólogo, filósofo e paleontólogofrancês que tentou construir uma visão integradora entre ciência e teologia.

Os religiosos que pregam a palavra, não podem fazer sem estuda-la, sem se aprofundar, sem receber a inspiração do Espirito de Deus. O sentido da obra religiosa deve ser o amor ao próximo, que é a primeira e mais importante lição cristã.

O bispo negro americano, fez o que deve ser feito em nome de Deus. E o fez demonstrando que de sua boca saiam palavras inspiradas e cultas.

Os pregadores políticos, quando falam, cospem ódio, oportunismo, lições que mais parecem vindas de Baal. Querem o corpo das pessoas, o dinheiro das pessoas, a fé dos crentes para seus projetos políticos escusos. Vendem a Igreja e a alma.

A bancada da Bíblia no Congresso Nacional, que não demonstra ter amor ao próximo, é a que mais troca o voto, a representação popular por negócios e mais poder para si e para o seu desamor, tudo em nome de Jesus Cristos, confundindo a cabeça de eleitores e fiéis.

O papa Francisco tem se esforçada pela unidade dos cristãos e ontem, ao ver a cerimônia com o Bispo de Cantuária e o Presidente das Igreja Episcopal dos Americanos, acendeu em mim a chama desta unidade, que afastaria os maus-profetas e separaria o joio do trigo, fazendo coque se cumpra:

Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

Leia Mais