Skip to main content
img_3008.jpg

Hydro diz que não contaminou o meio ambiente e nem as pessoas em Barcarena

O grupo Norsk Hydro, informou nesta segunda-feira, que a auditoria ambiental realizada pela consultoria SGW Services, indicou que não houve vazamento dos depósitos de bauxita da refinaria de alumina da Alunorte, em Barcarena (PA), e que não existe indícios de contaminação das regiões próximas às instalações da empresa, onde moram pessoas, e de rios da localidade.

A empresa diz que o laudo ainda não é definitivo, uma vez que prosseguirá analisando os poços e das águas das comunidades. Segundo a diretora da empresa de consultoria, Andrea Aluani:

“Os maiores padrões de alumínio e ferro no solo têm a ver com o solo tropical, que em geral tem concentrações elevadas desse tipo de metal”

O laudo liberado pela Hydro e o laudo do Instituto Evandro Chagas identificaram a presença dos minerais na água dos poços, das comunidades, resta saber de quem é autoria e responsabilidade pela presença destes minerais na água e nas pessoas, se da Hydro, que nega, de causas naturais ou das outras empresas do polo industrial.

O laudo da empresa conflita com tudo que foi afirmado até aqui sobre o acidente, com vazamento de rejeitos da lama vermelha e despejo de águas pluviais contaminadas para o meio ambiente:

“A SGW ratificou o que os estudos da própria força-tarefa da Hydro realizou, no qual não encontrou evidências de transbordo de rejeitos ou vazamento para o meio ambiente da chamada lama vermelha, resíduo que sobra após a transformação de bauxita em alumina. Segundo Andrea, uma área administrativa chegou a inundar, mas não houve saída dessa água para ambientes externos.

Sobre a tubulação com rachadura que foi encontrada posteriormente, a diretora da SGW contou que também não foi identificada contaminação. O canal era antigo, da época da construção da refinaria de alumina, e havia sido selado com concreto. De acordo com ela, com o tempo o concreto cedeu, mas não houve saída de rejeitos.

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/empresas/5438953/norsk-hydro-auditoria-contratada-diz-que-nao-houve-vazamento-no-pa ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.”

Apurar realmente a origem destes contaminantes e determinar a responsabilidade, encontrando o equilíbrio entre a produção, a geração de emprego e a preservação ambiental é muito importante para o futuro do desenvolvimento em nossa região.

Vamos aguardar o debate e a posição dos demais atores sobre os laudos: comunidades atingidas, advogados com causas de indenizações por danos ambientais, Ministério Público Federal e Estadual e os órgãos ambientais: Semas e IBAMA.

zecarlos

Advogado, pós-graduado em Direito Ambiental, especialista em povo, principalmente o povo paraense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *