Skip to main content
Batista Campos

Quando Jader Barbalho foi enganado

O roubo do osso

 

A Cabanagem foi a maior revolta do povo brasileiro, que governo o Pará de 1835 a 1840, o intelectual deste movimento popular foi o Cônego Batista Campos.

O Pároco morreu de uma infecção provocada por uma espinha carnal, mas deixou como desejo de última vontade ser enterrado em Barcarena. Dona Benta e dona Nair, sabiam disso e cuidaram para que os restos mortais permanecessem ali, na paroquia de São Francisco Xavier, sem qualquer perturbação.

O sossego do líder cabano foi interrompido. O governador do Pará, Jader Barbalho, resolveu encomendar ao grande arquiteto Oscar Niemeyer, aquele que projetou a capital federal, Brasília, um projeto de monumento em homenagem a “cabanagem”.

Construido no Entrocamento, Jáder Barbalho, determinou que os restos mortais de Malcher, Algelim, Vinagre e Batista Campos, fossem transladado para o monumento e assim foi feito. Hoje o monumneto está esquecido entre obras de concreto do complexo viário do Entrocamento. Até para visitar é difícil.

Dona Benta e Dona Nena, agiram rápido para fazer valer a vontade do Cônego frente ao desejo de Barbalho. Trocaram as ossadas, fazendo algo que no Pará parecia impossível, enganaram o político astuto. Os ossos de um desconhecido foram para no monumento da Cabanagem. Os resto do Cônego ficaram em Barcarena, onde permanecem até hoje.

Eu não sabia dessa história e acho que pouca gente sabe destes acontecimentos. Descobri tudo no jornal Folha de São Paulo.

O fotografo André Penteado, descobriu a história das duas barcarenenses e dos “Ossos do Cônego”, por causa do trabalho fotográfico que realiza para cobrir os buracos históricos da Cabanagem com fotografias que podem ser vistas no Blog do André Penteado. A descoberta de André foi publicada na edição deste domingo, 17/07, da Folha de São Paulo.

zecarlos

Advogado, pós-graduado em Direito Ambiental, especialista em povo, principalmente o povo paraense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *